BRAD RUSSELL
SPEECHLESS
Emissão Online
 
2017-07-11 00:00:07
Cristo Morreu Pelo Homem
“Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.” I Timóteo 1:15.

A parte mais importante do ministério diário era o serviço efectuado em prol do indivíduo. O pecador arrependido trazia a sua oferta à porta do tabernáculo, e, colocando a mão sobre a cabeça da vítima, confessava os seus pecados, transferindo-os assim simbolicamente para o sacrifício inocente. Pela sua própria mão o animal era então morto, e o sangue era levado pelo sacerdote ao lugar santo e aspergido diante do véu, atrás do qual estava a arca que continha a Lei que o pecador tinha transgredido. Com esta cerimónia o pecado era, mediante o sangue, transferido simbolicamente para o santuário. Nalguns casos, o sangue não era levado ao lugar santo; mas a carne deveria então ser comida pelo sacerdote, conforme Moisés instruiu os filhos de Aarão, dizendo: “O Senhor a deu a vós, para que levásseis a iniquidade da congregação.” Lev. 10:17. Ambas as cerimónias simbolizavam, de igual forma, a transferência do pecado do penitente para o santuário.

Assim era a obra que dia após dia se realizava, durante todo o ano. Os pecados de Israel sendo assim transferidos para o santuário, contaminavam os lugares santos, e uma obra especial tornava-se necessária para a remoção dos pecados. Deus tinha ordenado que se fizesse uma expiação por cada um dos compartimentos sagrados, assim como para o altar, para o purificar “das imundícias dos filhos de Israel”. Lev. 16:19.

Uma vez por ano, no grande dia das expiações, o sacerdote entrava no lugar santíssimo para a purificação do santuário. O trabalho ali efectuado completava o ciclo anual do ministério. PP, pág. 366, 367.

O santuário terrestre era “uma alegoria para o tempo presente”, na qual se ofereciam dádivas e sacrifícios; os seus dois compartimentos eram “figuras das coisas que estão no Céu”; porque Cristo, o nosso grande Sumo Sacerdote é hoje um “ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo, o qual o Senhor fundou, e não o homem”. Heb. 9:9, 23; 8:2.

Ele apresenta-Se na presença de Deus, … pronto para aceitar o arrependido e responder às orações de todo o Seu povo. ST, 22-11-1883.

Por:
Partilhe:
newsletter
Copyright 2017 Rádio RCS